“Veredas Vivas” foi o projeto vencedor da primeira edição do Prêmio Odair Firmino de Solidariedade, lançado pela Cáritas Brasileira em 2010 como forma de valorizar e estimular experiências da caráter coletivo que defendam e promovam os direitos humanos.

Ajans,,pt,o yıl,,pt,Ponte de Mateus'un topluluk projesini sundu,,pt,tarım ekonomisine direniş sembolünü temsil eden ve çevrenin korunması için mücadele eden aileler,,pt,Içinde,,pt,tecrübenin tanınması olarak kupa ve sertifika,,pt,topluluk R $ kazandı,,pt,projeyi tersine çevirmek için bin,,pt,Eylül ayı ortası,,pt,Topluluk parti veriyor.,,pt,çünkü Cerrado Merkezi Referans Merkezi açıldı,,pt,El işi grubuna ve Ponte de Mateus'un Topluluk Eczanesine yönelen bir alan,,pt,Dayanışma Odair Firmino Ödülü'nü kazandıktan sonra,,pt,proje görünürlük kazandı ve belediye kaynaklarına da sayıldı,,pt,São Desitério Çevre Sekreteryası vasıtasıyla garanti altına alınmıştır,,pt,R $,,pt, naquele ano, apresentou o projeto da comunidade de Ponte de Mateus, localizada no município de São Desidério, interior da Bahia. A comunidade conta com 60 famílias que representam o símbolo de resistência ao agronegócio e luta pela preservação do meio ambiente. Na premiação, além de troféu e certificado como reconhecimento da experiência, a comunidade ganhou R$ 10 mil para reverter no projeto.

Hoje, dia 11 de setembro de 2013, a comunidade está em festa, pois é inaugurado o Centro de Referência do Cerrado, um espaço destinado ao grupo de artesanato e à Farmácia Comunitária de Ponte de Mateus. Após a conquista do Prêmio Odair Firmino de Solidariedade, o projeto ganhou visibilidade e contou também com recursos municipais, garantidos por meio da Secretaria do Meio Ambiente de São Desitério. Os R$ 10 Odair Firmino Ödülünün bini ekipmana geri döndü,,pt,"Yaşayan Veredalar" çoğunlukla kadınlar tarafından gerçekleştiriliyor,,pt,bahia,,en,Ponte de Mateus toplulukları,,pt,ilk basım,,pt,kazanan,,pt,yaşam yolları,,es.

veredasvivas-caritas1O “Veredas Vivas” é conduzido em grande maioria por mulheres, que usam o capim dourado e outros matérias para produzir biojóias e artesanato, além de fazer o aproveitamento de frutas e plantas do cerrado que servem para a produção de remédios naturais.

Segundo a representante da Agência 10envolvimento, já são fabricados pela comunidade cerca de 13 tipos de fitoterápicos, entre garrafadas ou tinturas, xaropes, hormônios naturais, jatobá e culinária.

por Thays Puzzi, assessora de Comunicação da Cáritas Brasileira | Secretariado Nacional