“Veredas Vivas” foi o projeto vencedor da primeira edição do Prêmio Odair Firmino de Solidariedade, lançado pela Cáritas Brasileira em 2010 como forma de valorizar e estimular experiências da caráter coletivo que defendam e promovam os direitos humanos.

Agjencia 10envolvimento,,pt,atë vit,,pt,Ai paraqiti projektin e komunitetit Matthew Bridge,,pt,Familjet që përfaqësojnë simbolin agrobiznesit e rezistencës dhe të luftës për ruajtjen e mjedisit,,pt,në çmime,,pt,plus trofe dhe certifikata në njohjen e përvojës,,pt,fituar komuniteti R $,,pt,mijë të kundërt projektin,,pt,shtator,,pt,komuniteti është festuar,,pt,për shkak se ajo hapi Qendrën Referenca Cerrado,,pt,një hapësirë ​​për grupin artizanale dhe Matthew Ura e Komunitetit Farmacisë,,pt,Pas fitores dhënies Odair Firmino Solidariteti,,pt,Projekti fitoi shikimit dhe burimet e përfshira gjithashtu komunale,,pt,garantuar përmes Sekretariatit të Mjedisit të São Desitério,,pt,R $,,pt, naquele ano, apresentou o projeto da comunidade de Ponte de Mateus, localizada no município de São Desidério, interior da Bahia. A comunidade conta com 60 famílias que representam o símbolo de resistência ao agronegócio e luta pela preservação do meio ambiente. Na premiação, além de troféu e certificado como reconhecimento da experiência, a comunidade ganhou R$ 10 mil para reverter no projeto.

Hoje, dia 11 de setembro de 2013, a comunidade está em festa, pois é inaugurado o Centro de Referência do Cerrado, um espaço destinado ao grupo de artesanato e à Farmácia Comunitária de Ponte de Mateus. Após a conquista do Prêmio Odair Firmino de Solidariedade, o projeto ganhou visibilidade e contou também com recursos municipais, garantidos por meio da Secretaria do Meio Ambiente de São Desitério. Os R$ 10 Award Odair Firmino mijë u ndryshuan në pajisje për qendrën,,pt,E "Footpaths Alive" është kryer në shumicën e grave,,pt,Bahia,,en,Edicioni i parë,,pt,fitues,,pt,trotuaret e gjalla,,es.

veredasvivas-caritas1O “Veredas Vivas” é conduzido em grande maioria por mulheres, que usam o capim dourado e outros matérias para produzir biojóias e artesanato, além de fazer o aproveitamento de frutas e plantas do cerrado que servem para a produção de remédios naturais.

Segundo a representante da Agência 10envolvimento, já são fabricados pela comunidade cerca de 13 tipos de fitoterápicos, entre garrafadas ou tinturas, xaropes, hormônios naturais, jatobá e culinária.

por Thays Puzzi, assessora de Comunicação da Cáritas Brasileira | Secretariado Nacional