A comunidade de Urubu fica localizada no município de Trairí, Diocese de Itapipoca, no Ceará. Lá mora a família da jovem Valderez. Da jovem que tem sonhos e sorrisos, u wieħed minnhom huwa li tara l-art arrière kulur u l-produzzjoni,,pt,Minn diċembru,,pt,Valderez bdiet tipprepara l-ispazju fejn ġiet ikkultivata l-ħolma ta 'produzzjoni fl-art aridi,,pt,Jannar kien ix-xahar ta 'tħawwil,,pt,żmien meta ż-żerriegħa miksuba art,,pt,Fi 30-ispazju,,pt,metru kwadru ma 'diffikultà enormi ta' ilma hi jara,,pt,kultant,,pt,il-pjanti jmutu,,pt,iżda hi ma jieqfu,,pt,"Fl-ewwel aħna ppruvaw jagħmlu tank hawn,,pt,iżda ma ħadmux,,pt,Hu ma jżommu l-ilma ",,pt,kont,,pt,Huwa mixi bogħod li jkollhom bħala tisqija,,pt,"Ilma għall-ġnien ġej mill-sew li l-komunità jiġbed ilma li tixrob u l-ebda wieħed lmenta minħabba I jiksbu l-ilma għall-tarzna,,pt,imma anke hemm inti biss għandek żminijiet ",,pt. Desde dezembro de 2010 Valderez começou a preparar o espaço onde seria cultivado o sonho da produção em terra árida. Janeiro foi o mês da plantação, época em que a semente ganhou a terra. Em um espaço de 30×30 metros quadrados com imensa dificuldade de água ela vê, por vezes, as plantas morrerem, mas ela não desiste. “No começo tentamos fazer um tanque aqui, mas não deu certo, não segurou água”, conta. Caminhou longe para ter como aguar. “A água para o quintal vem da cacimba que parte da comunidade retira água para beber e nunca ninguém reclamou porque eu pego água para o quintal, mas mesmo de lá tem épocas que acaba”, rapporti,,pt,U hekk daħal tadam,,pt,bettieħa,,pt,bżar,,pt,patata u ful,,pt,tibda u wkoll ħxejjex mediċinali ħafna,,pt,li huwa diġà pjanta tradizzjoni tal-familja,,pt,It-teknika ħamrija miksija u irrigazzjoni dripp biex jieħdu vantaġġ ta 'kull qtar ilma,,pt,kont Valderez li ma jmorru fl velenu arrière tiegħek,,pt,kollox huwa tittieħed kura bl-demel,,pt,Anke bil-problemi kollha ta 'l-ilma jibda żgħażagħ biex jipproduċu nebbieta li huma kondiviżi mal-komunità kollha,,pt,"U mingħajr raw ilma,,pt,ah,,en,Jekk kellek ilma,,pt,yearns,,es,Hija tgħid ukoll li l-ISMAR u Elisângela aħwa dejjem tgħin biex jieħu kura tat-tarzna,,pt,Valderez għandha,,pt,sena u huwa ġenerazzjoni li għandu sfida kbira quddiem,,pt,fil preservazzjoni ambjentali,,pt.

E assim vieram tomate, melão, pimentão, batata e feijão, pra começar e também muitas ervas medicinais, que já é uma tradição da família plantar. O solo coberto e a técnica de irrigação por gotejamento para aproveitar cada gotinha de água. Valderez conta que em seu quintal não entra veneno, tudo é cuidado com estrume. Mesmo com toda a dificuldade de água a jovem já começa a produzir mudas que são compartilhadas com toda a comunidade: “E é sem água viu, ah! Se tivesse água!”, suspira. Ela também conta que os irmãos Ismar e Elisângela sempre a ajudam a cuidar do quintal

Valderez tem 19 anos e é de uma geração que tem um desafio enorme a sua frente, na preservação ambiental. Sfida kompletament differenti ta 'dak kollu li jkun ġie għexet fi żminijiet oħra,,pt,Aħna qed jesperjenzaw kriżi ambjentali mingħajr preċedent espressa mill-aktar telf ta 'bijodiversità istorja tal-pjaneta,,pt,iskarsezza tar-riżorsi bażiċi għall-ħajja,,pt,deżertifikazzjoni tal-ħamrija u t-tisħin globali fi matriċi deġenerazzjoni esponenzjali tal-pjaneta,,pt,sfortunatament kkawżati mill-mod kif ngħixu fiha,,pt,U huwa dan ix-xenarju li / żgħar ta Valderez għandu l-isfida tat-tibdil,,pt,Dak li aħna issa jitolbu żgħażagħ huwa fundamentalment l-ġenerazzjoni mwielda fil-għexieren ta 'snin,,pt,u l-qsim dan il-mument storiku,,pt. Estamos vivenciando uma crise socioambiental sem precedentes expressa pela maior perda de biodiversidade da história do planeta, escassez de recursos fundamentais à vida, desertificação dos solos e aquecimento global em uma degeneração exponencial das matrizes do planeta, tristemente causada pela nossa forma de habitá-lo. E é esse cenário que os/as jovens como Valderez tem o desafio de mudar.

O que hoje chamamos juventude é fundamentalmente a geração que nasceu nas décadas de 80 e 90 e que compartilham esse momento histórico. Kienu l-għexieren ta 'snin li fihom kkonċentrat l-akbar diżastri ambjentali kkawżati minn azzjoni tal-bniedem u wkoll meta bdiet tinfirex volum akbar ta' informazzjoni dwar kwistjonijiet ambjentali,,pt,Konklużjoni diġà ġibed hija li l-kulturi dominanti ta 'umanità ma nafx kif jgħixu fid-dinja armonjuż,,pt,u li din hija tagħlim urġenti biex ireġġgħu lura s-sitwazzjoni ambjentali fl-isferi kollha,,pt,ekonomika,,pt,ekoloġika u soċjali,,pt,ġenerazzjonijiet taż-żgħażagħ huma kkontestati li tittrasforma b'mod radikali modi tagħna ta 'produzzjoni,,pt,konsum,,es,u r-relazzjonijiet ambjentali bħala ċittadini / kif,,pt,produtturi / konsumaturi u l-/ kif,,pt,Ceará Caritas Reġjonali,,pt.

Uma constatação já feita é que as culturas dominantes da espécie humana não sabem como viver no mundo de maneira harmônica, e que este é um aprendizado urgente para reverter a situação socioambiental em todas as esferas: política, econômica, ecológica e social. As gerações juvenis têm o desafio de transformar radicalmente nossas formas de produção, consumo, e relações socioambientais como cidadãos/ãs, produtores/as e consumidores/as.

Fonte: Cáritas Regional Ceará