Estudos mostram que mais de 1 milhão de pessoas se suicidam a cada ano

O periódico especializadoem medicina Lancetpublicou uma série de três estudos que chamam a atenção para um assunto considerado tabu: o suicídio.

De acordo com um desses artigos, assinado por M R Phillips e H G Cheng, essa é a principal causa de morte entre garotas de15 a19 anos. Já entre os homens, o suicídio fica em terceiro lugar, após os acidentes de trânsito e a violência urbana.

Aqui no Brasil, estima-se que o suicídio é a terceira causa de morte entre jovens, logo atrás de acidentes e homicídios. Alexandrina Meleiro, psiquiatra do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da USP, afirma que “Antes as taxas eram maiores na terceira idade. Hoje a gente observa que, entre os jovens, elas sobem assustadoramente”. Estima-se que entre os jovens, a taxa multiplicou-se por dez de1980 a2000: de 0,4 para4 acada 100 mil pessoas.

O estudo conduzido por Keith Hawton mostra que os adolescentes geralmente evitam procurar ajuda por temerem a opinião dos outros uma vez que seus pensamentos suicidas se espalham pela escola. Também indica outra mudança no perfil dos suicidas. O risco, que sempre foi maior entre homens, está aumentando entre as meninas.

O doutor Howton diz que os efeitos da mídia também são importantes, mas que o assunto só parece ter relevância quando afeta uma celebridade. Ele afirma ainda que há poucas evidências de eficácia de qualquer tratamento psicossocial ou farmacológico, existindo uma grande controvérsia sobre o resultado e a utilidade de antidepressivos.

Já Meleiro acredita que isso se deve a gestações precoces e não desejadas, além de prostituição e abuso de drogas.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que os casos de suicídio aumentaram 60% nos últimos 45 anos e que mais de 1 milhão de pessoas no mundo morrem dessa forma todo ano. Mesmo assim, o problema, não é tratado abertamente.

Para a OMS, pouco é feito na área de prevenção. Pesquisadores da Universidade de Oxford, Inglaterra e da Universidade Stirling, na Escócia, dizem que mais pesquisas são necessárias para se compreender quais são os fatores de risco e melhorar a prevenção. Një nga strategjitë e përmendura nga ana e tyre do të jetë për të kufizuar qasjen në mjete për të lehtësuar vetëvrasje,,pt,si armë,,es,Vlerësimet-nuk është Brazil,,es,ndodh,,pt,vetëvrasje në ditë,,pt,Nga ana tjetër,,pt,është numri i përpjekjeve për,,pt,herë më e lartë se kaq,,pt,"Vetëvrasja është një epidemi e heshtur",,pt,shton Meleiro,,pt,Ajo thotë se njerëzit shpesh tregojnë shenja përpara një përpjekje,,pt,e vetëvrasjeve janë të lidhura me çrregullime mendore. "Paragjykimi përreth sëmundje mendore i bën njerëzit të mos kërkojnë ndihmë,,pt,Besohet për të pyetur nëse personi ka mendime vetëvrasjeje do të stimulojë atë,,pt,por që mund të marrë atë për të kërkuar ndihmë ",,pt,thotë Meleiro,,pt,Gospel Prime,,en, como armas.

Estima-se que no Brasil, ocorram 24 suicídios por dia. Por outro lado, o número de tentativas é até 20 vezes maior que isso. “O suicídio é uma epidemia silenciosa”, acrescenta Meleiro. Ela diz que as pessoas costumam dar sinais antes de uma tentativa.

Cerca de 90% dos suicídios estão ligados a transtornos mentais.”O preconceito em torno das doenças mentais faz com que as pessoas não procurem ajuda. Acredita-se que perguntar se a pessoa tem pensamentos suicidas vai estimulá-la, mas isso pode levá-la a procurar ajuda”, diz Meleiro.

Burim: Gospel Prime