Caritas برزیل ترویج تقویت و رهبری جوامع است که مقاومت در برابر مدل تولید فعلی و دیدگاه های زندگی که ریشه در همبستگی و توسعه پایدار,,pt,هفته همبستگی می گیرد هر سال,,pt,شبکه Caritas برزیل,,pt,از طریق طرح های مختلف که در جوامع تحقق,,pt,کلیساها,,pt,دایره اسقفی و منطقه ای,,pt,با الهام از عبارت هوشمند هلدر کامارا,,pt,"یک راه برای کمک به دیگران است برای اثبات به آنها که آنها قادر به فکر می کنم",,pt,کاریتاس پیدایش نجات و جشن,,pt,شان,,pt,سال سهم و تاثیر بر شکل گیری یک فرهنگ همبستگی در حمایت از مردم زندگی در محرومیت اجتماعی در کشور,,pt

A Semana de Solidariedade ocorre todos os anos, de 5 a 12 نوامبر, na Rede Cáritas Brasileira, por meio de diferentes iniciativas que se materializam em comunidades, paróquias, dioceses e regionais. Animados pela frase de Dom Helder Câmara, “a maneira de ajudar os outros é provar-lhes que eles são capazes de pensar”, a Cáritas resgatou sua gênese e celebrou, em 2010, seus 54 anos de contribuição e de incidência na formação de uma cultura de solidariedade em prol das pessoas que vivem em situação de exclusão social no país.

در طول هفته از جشن ها چند توسعه همه atividadesem Brasilcomo نمایشگاه محبوب همبستگی اقتصاد,,pt,Formaçãoem همبستگی اقتصاد,,pt,توسعه بازار,,pt,بازتاب فرهنگی و ارائه,,pt,با شروع از واقعیت هر جامعه,,pt,همیشه با این پیشنهاد را به جلو موضوع سال بعد از کمپین برادری,,pt,ترویج شده توسط کنفرانس ملی اسقف های برزیل,,pt,هفته همبستگی,,pt,موضوع "مسائل آب و هوا و زندگی در این سیاره",,pt,طی دهه های گذشته,,pt, Formaçãoem Economia Solidária, Bazar Solidário, Apresentações Culturais e Reflexões, partindo da realidade de cada comunidade. Sempre com a proposta de antecipar o tema do ano seguinte da Campanha da Fraternidade, promovida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Semana de Solidariedade 2010 teve como tema “As questões climáticas e a vida no planeta”.

Ao longo das últimas décadas, a sociedade vem amadurecendo sua consciência a respeito da atual situação do meio ambiente e as ameaças que o planeta e populações inteiras vêm sofrendo devido ao modelo de desenvolvimento adotado hoje mundialmente. No entanto, em contraposição a esse modelo pautado no consumismo exacerbado aliado ao contraditório desenvolvimento degradador, muitas experiências de resistência e mudança vêm se multiplicando em todo mundo, principalmente em pequenas comunidades que criam e recriam vida. Estas experiências têm demonstrado uma visão alternativa de uma sociedade que busca construir um modelo de vida que tenha como base a solidariedade para o desenvolvimento sustentável.

A Semana da Solidariedade em 2010 trouxe a campanha: Qual o nosso olhar? Com o tema voltado para as questões climáticas e a atual situação da vida do planeta, a atividade convidou a sociedade a voltar seu olhar para as ações de compromisso com os mais carentes, reafirmando assim a identidade dos agentes Cáritas no desenvolvimento de uma sociedade mais justa, igualitária e plural.

Em2010, a Semana da Solidariedade ainda contou com uma motivação a mais. O Prêmio Odair Firmino foi uma inovação que, além de prestar uma merecida homenagem póstuma a uma importante personalidade da Rede Cáritas, premiou experiências de organizações, entidades e grupos comunitários de abrangência local fomentadores da cultura da solidariedade que, sobretudo, dialogaram com a temática proposta.

Para o teólogo, biblista e escritor, Marcelo Barros, que fez parte da cerimônia de entrega do Prêmio Odair Firmino no dia 25 de novembro de 2010 em Brasília, a bandeira central da Cáritas Brasileira sempre foi a solidariedade. “O que seria do amor, da caridade se não fosse a solidariedade efetiva?” Ainda como sinônimo de esmola, segundo Barros, a entidade foi capaz de ir além. “A Cáritas conseguiu outro patamar de solidariedade. Ela atingiu uma solidariedade efetiva, coletiva, estrutural e transformadora, na qual os pobres são protagonistas e deixam de ser vistos apenas como indivíduos que precisam ser ajudados. Não existem pobres, existem pessoas empobrecidas pelo atual modelo de desenvolvimento.”

Marcelo Barros ainda disse que discutir a solidariedade no mundo de hoje, em uma sociedade competitiva e individualista, é de extrema importância, “pois não estamos falando apenas da solidariedade como forma de atividades ou formas isoladas, mas estamos tratando da solidariedade como princípio de vida, como um modo e um jeito de viver.”

Neste sentido, para o teólogo, solidariedade é vida, ela não é algo a mais, ela é o próprio princípio da vida. “A gente nem percebe a solidariedade que nos liga uns aos outros. É uma comunhão que faz com que a gente faça parte um do outro, não apenas entre nós, seres humanos, mas uma comunhão entre todos os seres vivos. Desta forma, é claro que cuidar da vida planeta é uma tarefa fundamentalmente espiritual e solidária”, ressaltou.

Mudanças climáticas – “As mudanças climáticas são um problema global e requerem uma resposta global. As crises ambientais, financeiras e sociais decorrentes dessas mudanças climáticas não são isoladas da contínua perda da biodiversidade e degradação dos ecossistemas.” A fala é do professor da Universidade de Brasília, João Nildo de Sousa Vianna, que destacou as influências que atual o modo de produção tem sobre o clima.

De acordo com ele, existem dois cenários para o Brasil e para as comunidades internacionais. O primeiro é que se não houver mudanças de hábitos como as altas emissões de poluentes na atmosfera, em2100 atemperatura média no Brasil vai subir 6ºC. Porém, se medidas forem adotadas para a redução drástica destas emissões, no mesmo período de 90 سال,,pt,فرزندان,,pt,نوجوانان و جوانان می خواهم به زندگی,,pt,هیچ روز,,es,اکتبر,,pt,روز جهانی کودک,,pt,ECA,,pt,تکمیل شده,,pt,سال آفرینش,,pt,اینها,,pt, a temperatura subirá 1,5ºC.

Este aumento da temperatura trará conseqüências que irão refletir em prejuízos para o meio ambiente, a saúde e a economia. “A previsão que temos é que com a diminuição das chuvas, em torno de 60% no nordeste, por exemplo, e o aumento na frequência de dias secos consecutivos, toda a Caatinga irá desaparecer”, alertou.

Por isso, por meio do tema da Campanha da Fraternidade2011, aCáritas Brasileira convidou a sociedade brasileira a discutir e a refletir sobre o que vem ocorrendo com o planeta Terra e, ao mesmo tempo, evidenciou as experiências promotoras de outras concepções de vida que tem no desenvolvimento solidário e sustentável a saída atual para um mundo melhor.